Guia básico de Interação para eLearning

O que é Interação? Por que é importante para o eLearning? Qual é a projeção para o futuro?

 

O que é Interação?

 

Com quantas pessoas você conversou hoje? Talvez com sua família, pela manhã, com seu chefe ou cliente, ao chegar no trabalho, ou até mesmo com a sua equipe.

Bom, já parou para pensar como é complexo o simples ato de conversar? Para se comunicar, você deve gerar um pensamento, assim o seu cérebro irá transformá-lo em palavras, frases e textos. Músculos serão ativados com o propósito de emitir ondas sonoras, formando a sua fala, que será ouvida pelo receptor. O receptor, ao perceber as ondas sonoras, as traduzirá em palavras, frases e textos, proporcionando assim uma análise do que se foi dito, gerando outro pensamento, outra fala, e assim por diante, até responder de volta.

esquema-1

Esse processo complexo é denominado interação. Dessa forma, podemos resumir interação como sendo a comunicação entre dois ou mais sistemas, considerando que um sistema interfere no outro respectivamente. No caso de uma conversa, a comunicação se da por meio da linguagem e os sistemas são as pessoas envolvidas na conversa.

Qual a relação de Interação e eLearning, e por que é importante?

 

A Interação é de suma importância para os Sistemas de Administração Educacionais (LMS – Learning Management System), para os cursos de Educação a Distância, e para qualquer outro sistema digital.

O papel do Designer Educacional no eLearning é fazer com que exista uma conversa entre o indivíduo e o sistema dentro da máquina, ou seja, fazer com que o aluno aprenda de fato, da melhor forma possível, com o sistema mais adequado.

De um lado, as pessoas possuem:

  • Linguagens próprias;
  • Meios Sensoriais para receber estímulos do ambiente;
  • Restrições cognitivas;
  • Modelos conceituais de como as coisas funcionam.

 

Por outro lado, as máquinas contém:

  • Linguagens de programação;
  • Mouses;
  • Teclados;
  • Telas touch screen;
  • Webcams;
  • Caixas de som e microfones;

 

Para o Designer Educacional, a interação deve sempre abranger os requisitos humanos e as viabilidades eletrônicas. De modo resumido, ao contemplar esses dois fatores, o profissional também deverá considerar:

  1. Arquitetura da Informação – Forma com que os dados serão hierarquizados para melhor entendimento das pessoas. No caso de sistemas educacionais, define como o conteúdo será organizado. Geralmente seu processo de produção é realizado por diagramas ou mapas mentais. O teste com o usuário é necessário a partir dessa etapa, uma forma para isso é conhecida como “card sorting”.
  2. Design de Navegação – Como os diversos níveis hierarquizados de informação serão acessados, seja por menus de navegação, por botões “próximo” e “anterior” de navegação linear ou pelo scroll do mouse (conforme testamos em nosso último projeto).
  3. Interface do Usuário (UI, User Interface) Forma gráfica com que as informações hierarquizadas serão apresentadas e diagramadas para o indivíduo, considerando as dimensões da tela e as viabilidades do sistema eletrônico. O teste com o indivíduo é de total importância nessa etapa e pode ser realizado por protótipos de baixa qualidade, conhecidos por wireframe.

 

esquema-2

 

Considerando a interação como a comunicação entre um indivíduo e o sistema, oteste com o usuário é fundamental para comprovar que a conversa foi bem sucedida. Na Agência Webnauta sabemos essa importância, por isso, realizamos diversos testes internos para assegurar a qualidade dos serviços prestados, não só de interação, mas em diversas áreas.

Qual o futuro da Interação?

 

Já deu para perceber que a interação é bem profunda, certo? E na mesma proporção, ela é vital para o eLearning. Mas… ela só se baseia em mouse e teclado?

O site americano The Verge  fez um vídeo para expressar previsões de como será a interação com computadores no futuro.

Para identificar qual será a próxima interação inovadora, primeiro devemos considerar como nos expressamos. Podemos utilizar: os nossos dedos para clicar, digitar e tocar; a nossa habilidade de manipular os objetos; nossos olhos para demonstrar onde estamos focando; nossa fala para dar comandos; entre diversas outras possibilidades.

A última tecnologia que revolucionou a interação foi o touch screen, que é basicamente “tocar no vidro”. Mas… “o que vem depois do vidro?”.

Segundo o The Verge, o Google Glass é uma possibilidade, pois apresenta a informação direto nos olhos, esperando comando de voz para acionar processos.

Outra alternativa seria um leitor de gestos manuais, que identifica os dedos e a palma da mão, acionando diversas tarefas. Tecnologias que ajudam a perceber intensidade e volume também são uma saída (conforme o vídeo abaixo). Em resumo, o The Verge demonstra que o futuro da interação será baseado em nossas mãos, que percebem e manipulam objetos de forma precisa.

Por fim, uma interessante solução é o Oculus Rift, onde as informações são apresentadas virtualmente em uma tela posicionada no rosto do interator, que, ao movimentar sua cabeça, percebe que o ambiente virtual move-se junto. A aplicabilidade de tal tecnologia é gigantesca, pois qualquer cenário pode ser criado, deixando o aluno imerso em seu conhecimento.

A interação no eLearning é um tema bastante abstrato que abordaremos em diversas publicações como essa. Esperamos que você tenha feito grande proveito desse “guia básico” que desenvolvemos.

Por fim, agora que você leu todo o texto, que tal nos enviar a sua perspectiva? Qual tecnologia você acha que inovará a interação no eLearning?

Envie sua resposta para contato@agenciawebnauta.com. Os melhores serão escolhidos e apresentados no final do mês.

Tags:
,
Sem comentários

Publicar Comentário