Guia Básico de Gamificação

Entenda como aplicar Gamificação em seus projetos com o Jogador no Centro de suas escolhas.

 

Muitos acreditam que a evolução dos games começou há pouco tempo na história da humanidade, entretanto, os jogos fazem parte fundamental da característica humana e em praticamente todas as civilizações estavam presentes na cultura das pessoas. Provavelmente começamos a nos divertir com jogos antes de desenvolver linguagem e até antes de andar em duas pernas.

Há evidências de jogos de tabuleiro com 5000 anos de idade, encontrados em escavações egípcias, o dado mais antigo conhecido possui 3000 anos, o domino começou a ser mais conhecido em torno de 2000 anos atrás e há evidencias de jogos chineses com 3000 anos. A humanidade vem aprimorando, evoluindo e utilizando os seus jogos ao longo de séculos, e cada vez mais há uma relação intima entre os dois, não é atoa que adultos e crianças de diferentes gerações passam seu lazer jogando complexas partidas de golf, complicados jogos de baralho ou o simples pega-pega.

Mas qual a relação entre games e aprendizado? Independente da área onde é aplicado, metodologias básicas de jogos conseguem criar engajamento e interesse do público, por isso o termo Gamificação tornou-se famoso entre todo o mercado. Dessa forma, envolvimento e entusiasmo são sentimentos fundamentais para a Educação a Distância.

O que é Gamificação?

 

Resumidamente, Gamificação é o processo de incorporação de mecânicas de jogos em outras áreas as quais não são aplicadas normalmente, objetivando criar engajamento, diversão, aproveitamento, entusiasmo, interesse e, no caso de eLearning, aprendizado.

Não confunda a Gamificação com o Desenvolvimento de Games, que está mais relacionado em criar uma simulação, ou de fato um jogo, que envolve cálculos matemáticos e lógicos complexos. Na verdade, quanto mais simples ela for, melhor será o seu resultado. No exercício de aplicar Gamificação é necessário um objetivo claro e bem definido, e a procura para realização dessa meta deve ser a mais simples possível, sem necessidade de inserir um personagem com uma arma ou uma nave espacial num ambiente futurista.

Fica claro assim que utilizar a Gamificação não é tão fácil quanto parece, uma vez que somente os dados essenciais para a atividade devem ser considerados buscando a simplificação do mesmo. Por exemplo, é possível adicionar pontos, troféus, prêmios e painéis de controle, mas não em todos os casos. Dessa forma, é vital ter em mente que tentativa e erro é fundamental para Gamificação, sendo a diversão, o interesse e o engajamento o seu objetivo principal, testes com o aluno garantem o sucesso da aplicação.

Design Centrado no Jogador – Player Centered Design

 

Design Centrado no Usuário (DCU) é uma metodologia de User Experience que busca manter o público principal, que no caso do eLearning são os alunos, e os seus objetivos do centro do desenvolvimento de um projeto.

Enquanto eficiência, eficácia e satisfação são foco do DCU, Janacki Kumar e Mario Herger propõe que em Gamificação expande esses objetivos para maior engajamento, e os alunos precisam de desafios além de eficiência, empoderamento além de eficácia e diversão além de satisfação para melhorar a sua experiência com o uso.

 

esquema-11

 

O Design Centrado no Jogador (DCJ) apresenta um canvas para auxiliar os designers, e os envolvidos no processo de desenvolvimento, na aplicação de Gamificação.

Jogador

 

esquema-2

 

Primeiramente, o sucesso da utilização de Gamificação é baseado na definição de quem será o jogador e o seu contexto. O seu aluno é um aspirante a advocacia, a contabilidade ou um analista de rede sociais? O conteúdo do curso é sobre matemática, história, análise comercial ou administração?

Identifique quem são seus jogadores, entenda o máximo que conseguir sobre eles e quais são as suas expectativas e objetivos. Pesquise, crie entrevistas, liste as características importantes para o seu projeto e monte um perfil que representa esse público.

Missão

 

esquema-3

 

Após detalhar o seu jogador, a próxima etapa é a definição da missão, na qual é necessário identificar o contexto e o conteúdo em que a Gamificação será aplicada, quais são os conhecimentos e habilidades que o aluno deve aprender e por fim estabelecer uma missão apropriada para o projeto.

Sua missão deve ser específica, mensurável, clara, estimuladora, realista e realizável em um certo espaço de tempo. Como o DCJ é um processo iterativo no qual sempre voltará a alguma etapa anterior, você muitas vezes irá identificar mais características sobre o seu jogador enquanto define a sua missão.

Motivação Humana

 

esquema-4

 

Existem diversas teorias em relação ao que motiva a curiosidade humana. Fatores relacionados ao Jogador como geração, gênero e objetivos determinam qual a motivação certa para cada um, como por exemplo as motivações serão completamente diferentes entre um garoto de 18 anos aprendendo um conceito de matemática e uma mulher de 40 anos cujo objetivo é entender como funciona a psicologia de compras.

Existem dois tipos de motivação:

Interna

  • Autonomia
  • Pertencimento
  • Curiosidade
  • Amor
  • Significado

 

Externa

  • Prêmios
  • Dinheiro
  • Medo de Falhar
  • Medo de Punição
  • Pontos
  • Estrelas
  • Recompensas

 

Uma pesquisa no MIT conduzida por Daniel Pink descobriu que motivações externas são eficazes para tarefas simples, entretanto, tarefas que precisam de funções cognitivas mais complexas e inovação são motivadas pelas internas.

 

Mecânica de Jogos

 

esquema-5

 

A partir da análise do Jogador, da sua Missão e dos fatores que o Motivam, é importante criar um fluxo positivo para a implementação de Gamificação. Mecânicas de Jogos são elementos da interface que o Jogador interage, como prêmios, pontos, tesouros, medalhas e estrelas.

Desafio também é uma mecânica poderosa que motiva a ação do Jogador, bem como a narrativa aplicada para contextualizá-lo, o progresso em que ele se encontra, as regras que deve seguir e o feedback se está sendo bem sucedido ou não. É fundamental apresentar a informação certa na hora em que é precisa, e sempre apresente uma promoção de status para o seu progresso, como aumento de nível.

Monitoramento e Controle

 

esquema-6

 

Como a Gamificação tem uma Missão específica, ela deve ser administrada e avaliada e o seu status e progresso devem ser claramente apresentados para o Aluno.

Fica claro assim que a Gamificação é um tema que será muito tratado aqui. Qual a sua opinião sobre o assunto?  Nos envie um e-mail para contato@agenciawebnauta.com com sugestões, críticas ou ideias para o nosso portal de notícias!

Sem comentários

Publicar Comentário